segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

de fazer poema

André Coelho




Fazer poema
não me enternece,
não me arrebata,
não me delira.

Fazer poema, para mim,
é escrever como eu sou.
Fazer poema sou eu.

O que eu canto
importa menos.
Importam menos
meu amor, a minha dor,
se eu não puder escrever.

É quase como apenas ser.


Rio de Janeiro
28 de janeiro de 2007

2 comentários:

Claudiane Florencio disse...

Que alma a sua!!! Linda!!! Transparente!!!

Kaf disse...

Lindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais populares