domingo, 12 de abril de 2009

semeio (ainda que)

André Coelho

ainda que seque a flor,
semeio.

por toda a terra sem água,
tanta febre quanta for,
ou pura tristeza e mágoa.

ainda que à própria vida,
já por inteiro esgotada
de toda vida quanto há,
falte um sorriso, que falte lar,
ou falte o leite no seio,
ainda que tudo vá.
que tudo vá.

semeio.


Lança o teu pão sobre as águas,
porque depois de muitos dias o acharás.
Reparte com sete, e ainda até com oito,
porque não sabes que mal haverá sobre a terra.
(Coélet, Eclesiastes 11.1-2)


postado em http://papaxibe.flogbrasil.terra.com.br/
30 de julho de 2006 -
Rio de Janeiro, RJ

2 comentários:

Descanso da Alma disse...

fantástico poema.
Lindo e musical.

Parabéns André

Tavil Domi disse...

É mesmo lindo. Também aquele dos montes aos montes.Taí, bela surpresa vc me armou. Abraços.
Vital Lima

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais populares